Sustentabilidade no setor da construção

A construção sustentável é um conceito que tem recebido mais atenção recentemente, e é um dos conceitos mais discutidos e menos compreendidos da atualidade. Podemos definir este conceito como algo que afeta as fases de conceção, construção, manutenção e desmantelamento de cada edifício, com o objetivo principal de responder às necessidades da sociedade sem por em causa as gerações futuras.

Existem três aspetos principais que regem este conceito de desenvolvimento e construção sustentável, sendo esses o ambiente, a sociedade e a economia. Ou seja, este conceito dá ênfase: à preservação do ambiente e dos recursos naturais, à capacidade de satisfação das necessidades humanas e ao desenvolvimento económico que permita aumentar a qualidade de vida e fomentar o crescimento. Um edifício construído de forma sustentável será capaz de minimizar os gastos em matérias-primas, e deverá permitir às comunidades um equilíbrio planeado entre espaços para viver, trabalhar e lazer enquanto permite um bom acesso aos transportes.

 

 

O verdadeiro objetivo da sustentabilidade é muitas vezes ofuscado pela tendência de tratar o tema superficialmente tendo em conta apenas a perspetiva ecológica. No entanto, independentemente se trabalhar no setor público ou privado da construção deverá compreender que a sustentabilidade ultrapassa largamente o ponto de vista ecológico, visto que, abrange o ambiente a longo prazo como uma preocupação pelo futuro da humanidade.

O setor da construção é um dos setores onde este conceito ganha mais importância devido à vasta quantidade de recursos materiais e energéticos necessários para produzir e manter uma construção. Tendo em consideração a expansão urbanística da atualidade e o ritmo a que o planeta está a ser urbanizado, torna-se ainda mais imperativo ter em conta a sustentabilidade e os fatores ambientais, económicos e sociais envolvidos.

Em resumo, as empresas construtoras devem seguir algumas ideologias principais:

  • Reciclagem: é fundamental pensar e avaliar a reciclabilidade dos materiais escolhidos.
  • Reutilização da água: a água é um dos recursos naturais mais abundantes e desperdiçados no nosso planeta, sendo por isso essencial a reutilização de águas residuais devidamente tratadas e o aproveitamento da água da chuva.
  • Energia solar: como é uma fonte de energia renovável, o investimento em painéis solares para produção de energia solar, aliado a um design que possibilite o aproveitamento máximo da exposição também será vantajoso.
  • Materiais sustentáveis: os materiais usados na construção de um edifício têm que ser transportados depois de serem produzidos, o que causa grandes quantidades de gases prejudiciais libertados para a atmosfera. Sendo assim, torna-se essencial investir em modelos híbridos ou elétricos e adotar métodos que permitam a diminuição das emissões.

Apesar destes fatores serem fundamentais para o futuro da humanidade, a construção sustentável ainda não é a escolha principal. Um edifício que preencha estes requisitos é mais dispendioso que uma construção tradicional. No entanto, apesar de um investimento inicial maior, a compra de um edifício sustentável pode gerar poupança suficiente num prazo de aproximadamente 10 anos. Isto deve-se à redução no consumo de água, eletricidade, climatização e manutenção, o que permite compensar o preço extra pago inicialmente.

Apesar disso, o setor da construção continua a optar na maioria das vezes por métodos de construção tradicionais, ignorando completamente o consumo de matérias-primas, utilizando fontes de energia não renováveis e produzindo quantidades exageradas de resíduos. Esta mudança é algo que exige muito esforço e investimento, o que significa que a adoção de uma visão mais sustentável poderá ainda demorar alguns anos.

Dê uma nova vida aos seus edifícios, opte pela sustentabilidade.

Autor: André Costa

 

Subscrever Newsletter

"Sim! Quero receber notícias que me vão ajudar a aumentar a produtividade da minha empresa."

Subscreveu com sucesso a nossa newsletter!